Arquidiocese de Londrina

Categoria: Notícias

QUARTA-FEIRA DE CINZAS

QUARTA-FEIRA DE CINZAS

2/3 – QUARTA-FEIRA DE CINZAS

Confira os horários das Santas Missas:
Paróquia Sant’Ana: 19h e 7h*
Capela do Espírito Santo: 19h30

*Novo horário

Caso não possa ir, teremos a transmissão ao vivo das missas. Acesse o link abaixo e participe

“Lembra-te que és pó e ao pó voltarás” (Gn 3,19)

Papa convoca dia de oração e jejum na quarta-feira de cinzas pela paz na Ucrânia

Papa convoca dia de oração e jejum na quarta-feira de cinzas pela paz na Ucrânia

Na Audiência geral desta quarta-feira, antes dos ataques russos à Ucrânia, o Papa Francisco falou da sua tristeza sobre o agravamento da situação e convocou um Dia de oração e jejum pela paz na próxima quarta-feira de cinzas

“Peço a todas as partes envolvidas para que se abstenham de qualquer ação que possa causar ainda mais sofrimento às populações, desestabilizando a convivência entre as nações e desacreditando o direito internacional”. Dessa maneira o Papa Francisco, no final da Audiência Geral, falou sobre a situação na Ucrânia, apelando “aos que têm responsabilidade política para fazer um sério exame de consciência diante de Deus, que é o Deus da paz e não da guerra” e que “quer que sejamos irmãos e não inimigos”. “Mais uma vez, a paz de todos está ameaçada por interesses de parte”.

Papa Francisco fez um apelo a todos, crentes e não crentes:

“Jesus nos ensinou que à insistência diabólica, à diabólica insensatez da violência se responde com as armas de Deus: com a oração e o jejum. Convido a todos a fazerem no próximo 2 de março, Quarta-feira de Cinzas, um dia de jejum pela paz. Encorajo, de modo especial os crentes a se dedicarem intensamente à oração e ao jejum naquele dia. Que a Rainha da Paz preserve o mundo da loucura da guerra.”

O pedido do Papa foi feito horas antes da invasão russa à Ucrânia, ocorrida durante esta noite. O que se temia há dias se verificou e o mundo está testemunhando uma nova guerra. Durante a noite, a Rússia lançou operações militares em território ucraniano para proteger o Donbass. Foi o próprio presidente Putin quem anunciou a invasão: explosões e sirenes de alarme começaram a ser ouvidas ao amanhecer, também na capital, Kiev, onde se registraram colunas de carros civis em fuga, especialmente de áreas periféricas.

O caos está por todo o país, não apenas no sul e sudeste, mas também nas fronteiras com Belarus e Polônia: em Odessa, Kharvik, Mariupol e Lviv. O ataque anunciado por Putin parece, portanto, ser poderoso e em grande escala. Em seu anúncio, o presidente russo, por outro lado, usou termos precisos como “desnazificar” e “desmilitarizar” a Ucrânia, ou seja, torná-la inofensiva: “a expansão da OTAN e seu uso do território ucraniano são inaceitáveis”, disse. “Qualquer um que tente criar obstáculos e interferir conosco”, afirmou, “sabe que a Rússia responderá com consequências sem precedentes”. Estamos preparados para tudo. E na ONU, Moscou deixou claro que o alvo do ataque é “a junta no poder em Kiev”.

A resposta da Ucrânia

A presidência ucraniana fala de uma “guerra de agressão”, e está pedindo ajuda ao mundo, em termos de sanções e isolamento da Rússia, assistência financeira, militar e humanitária. Enquanto isso, o governo está tentando proteger a população através da imposição da lei marcial. “Detenham a guerra e Putin”, escreveu o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky no seu Twitter. Têm-se notícias também da destruição da defesa antiaérea de Kiev. E da própria presidência a difusão das primeiras imagens da guerra, uma explosão na capital com uma densa nuvem de fumaça, perto de um parque. A operação russa”, adverte Zelensky, “visa destruir o estado ucraniano, tomar seu território pela força e estabelecer uma ocupação”.

“Precisamos de orações”

Enquanto isso, a população espera e tenta se proteger da melhor maneira possível. A seguir o testemunho do padre Radko Vaolodymyr, da cidade de Lviv:

“É a guerra, ouvimos notícias de bombardeios de numerosos vilarejos e até de grandes cidades. Nosso Patriarca chamou todos nós nesta manhã para nos convidar para a oração. Ainda estou na cidade de Lviv, a cerca de 60 quilômetros da fronteira com a Polônia. Posso testemunhar que durante alguns minutos as sirenes foram ouvidas. Não vamos ceder ao pânico. A ativação das sirenes significa que temos que ser cautelosos e nos esconder. À meia-noite, hora ucraniana, começou o estado de emergência, e esta manhã o presidente declarou o estado militar, portanto, a guerra aberta começou. Precisamos da oração para nos ajudar a não ceder ao pânico e para manter a calma, na esperança de que possamos vencer este mal.”

Fonte: vaticannews

Foto: Vatican Media

Ecos de Sant’Ana – Fevereiro de 2022

Ecos de Sant’Ana – Fevereiro de 2022

Está no ar a edição da Ecos de Sant’Ana de fevereiro. Em destaque, a matéria: “Deus nos dá a chance de mudança de vida!”, que nos leva a refletir sobre a espiritualidade no tempo quaresma. A Igreja em sua sabedoria nos proporciona a oportunidade de vivenciar o cristianismo em seus diversos aspectos a partir do tempo litúrgico. A quaresma é o tempo oportuno para a conversão e para o aprofundamento na relação com Deus e com os demais. Não é apenas ‘mais um tempo’, mas é o momento propício para o encontro com o Senhor, explica Júniar Aparecido Padilha, Seminarista da Arquidiocese de Londrina. A Revista traz ainda novidades sobre construção da matriz Sant’Ana, curiosidades, notícias e assuntos diversos. A Ecos de Sant’Ana tem conteúdo exclusivo é feita com carinho para você! Acesse o link e tenha uma boa leitura!

REVISTA DA PARÓQUIA SANT´ANA Londrina, fevereiro de 2022 – Ano 13 – Edição 140

Missa dos Ciclistas

Missa dos Ciclistas

19/2 (sábado) às 8h na Igreja Caramuru ( Estrada do Bulle – Patrimônio Caramuru – Rolândia) presidida pelo Pe. Marcelo Cruz.

Às 6h30 – Concentração dos ciclistas na Venda do Alto – Venda dos Pretos
(Estrada da Cegonha- Londrina) rumo à Igreja do Caramuru.

A saída é opcional, caso queiram, poderão se dirigir diretamente ao endereço da Santa Missa.

A Missa dos Ciclistas acontece todo terceiro sábado do mês. Convide os amigos! Participe conosco

Formação sobre a CF 2022

Formação sobre a CF 2022

Formação sobre a Campanha da Fraternidade 2022:
“Fraternidade e Educação – Fala com a sabedoria, ensina com amor” (Pr 31, 26).

Sexta-feira, 4/2, 19h30 – Transmissão ao vivo pelas redes sociais da Arquidiocese de Londrina.
Assessoria: Pe. Vilmar Serighelli, assessor eclesiástico da Pastoral da Educação do Regional Sul 2 da CNBB.

Realização: Província Eclesiástica de Londrina – Arquidiocese de Londrina, Diocese de Apucarana, Diocese de Cornélio Procópio, Diocese de Jacarezinho.

Participe!

Revista Ecos de Sant’Ana – Edição Janeiro

Revista Ecos de Sant’Ana – Edição Janeiro

Está no ar a edição da Ecos de Sant’Ana de janeiro, a primeira de 2022!.

A edição traz em destaque a matéria: “Administração Eclesial”, onde aborda as boas práticas de gestão nas paróquias.

“Graças à abertura do Conselho Econômico Arquidiocesano à participação de leigos católicos, deu-se início a um moroso e árduo trabalho de implantação de um sistema único e legal de administração”, afirma Wellington Moreira, membro do Instituto Líder Católico e coautor do livro “A arte de liderar na Igreja” (Editora Santuário).

A revista Ecos de Sant’Ana tem conteúdo exclusivo e foi feita com carinho para você!

Revista Ecos de Sant’Ana – Edição Dezembro

Revista Ecos de Sant’Ana – Edição Dezembro

Está no ar a edição da Ecos de Sant’Ana de dezembro. A revista traz em destaque a matéria: “Maternidade Divina de Maria”.

“A Igreja professa e ensina quatro verdades de fé sobre Maria. São eles: Maternidade Divina de Maria, Virgindade Perpétua de Maria, Imaculada Conceição de Maria e Assunção de Maria aos céus”, explica Pe. Valdmiro Rodrigues da Silva, Mestre em Teologia com especialização em Mariologia (Roma).

A revista Ecos de Sant’Ana tem conteúdo exclusivo e foi feita com carinho para você! Acesse o conteúdo abaixo e tenha uma boa leitura!

2 jeitos fáceis de celebrar São Nicolau com as crianças

2 jeitos fáceis de celebrar São Nicolau com as crianças

Aqui estão algumas maneiras de tornar este festa especial com o mínimo de preparação. Os pequenos vão adorar!

No dia 6 de dezembro, celebramos um dos dias mais legais do ano: a festa do querido São Nicolau, padroeiro das crianças e inspiração do Papai Noel! 

Nesse dia, muitas crianças católicas acordam e encontram um presentinho escondido em seus sapatos, talvez um doce, um pequeno brinquedo, livro ou as tradicionais laranjas. Gosto de receber moedas de ouro de chocolate para uma conexão memorável com a origem desta celebração.

Mas há alguns anos, sou totalmente pega de surpresa e esqueço o dia da festa até o último minuto. Se isso também aconteceu com você neste ano, não se preocupe! Ainda dá tempo de sair para comprar doces (ou usar o que sobrou do Halloween).

 Aqui estão algumas maneiras de tornar especial este dia de São Nicolau apenas com o mínimo de preparação.

CONTE A HISTÓRIA DE SÃO NICOLAU PARA AS CRIANÇAS

A parte mais importante também é a mais simples! Compartilhe com seus filhos que a Igreja celebra o grande padroeiro das crianças. Destaque algumas histórias sobre a vida dele. Você pode encontrar uma pequena biografia para ler em voz alta aqui. Compartilhar a história é uma boa chance de explicar que os santos não eram perfeitos, mas continuaram tentando fazer o melhor, assim como nós.

Outra maneira de celebrar é assistir a algum filme sobre São Nicolau. Se seus filhos são como os meus, eles ficarão muito felizes em poder assistir a um filme como uma surpresa para o dia da festa. Procure algumas opções na Netflix.


FAÇA ALGO DIFERENTE COM AS CRIANÇAS

Festejar o santo padroeiro das crianças tem que incluir algo delicioso e especial para os pequenos, né? Então, escolha algo divertido e fácil para fazer com eles. Exemplos:

  • faça uma sobremesa simples;
  • compre uma guloseima divertida no caminho da escola para casa;
  • faça um cachorro-quente com as crianças
  • joguem um jogo de tabuleiro juntos

Se seus filhos gostam de desenhar ou colorir, você pode imprimir um desenho especial de São Nicolau para eles pintarem. É só dar um google e deixar a criatividade rolar.

São Nicolau, rogai por nós e pelas crianças!

Fonte: Aleteia Brasil

Quando a expressão de sentidos vai além das palavras

Quando a expressão de sentidos vai além das palavras

Símbolos utilizados na religião católica transmitem significados universais. Conheça os significados dos símbolos do Advento

No domingo, a Igreja deu início ao primeiro tempo do Ano Litúrgico, o Advento. Esse período é reservado para que os cristãos se preparem para acolher o Menino Jesus na grande festa do Natal e, mais do que isso, para que estejam atentos e vigilantes para a segunda vinda de Jesus Cristo, no juízo final. Para isso, as paróquias preparam o ambiente e os rituais de forma com que a comunidade consiga aproveitar o momento da melhor maneira.

Para contribuir com a construção desse ambiente, os símbolos são muito utilizados, pois são representações cheias de significados, e que transmitem convicções e valores, fortalecendo a identidade de um povo sem, necessariamente, utilizar a linguagem verbal. É muito comum, por exemplo, que a cruz tenha um mesmo significado para cristãos de diferentes lugares.

O diácono e professor da História da Igreja, Geraldo Luiz de Souza, explica que a palavra símbolo significa “aquilo que une, aquilo que dá sentido”, contrariando a palavra diábolo que é o que divide.

Você já deve ter percebido que as cores, símbolos e até mesmo as músicas que compõem as celebrações mudam ao longo do ano, de acordo com cada tempo e, nas celebrações do Advento não é diferente, e cada elemento é inserido propositalmente, cada um com um significado e intenção. Mas quais são os símbolos e ações simbólicas desse tempo de preparação e qual a importância deles?

Os símbolos no Advento

O diácono Geraldo divide os símbolos em três categorias: os litúrgicos, os religiosos e os antropológicos e define como litúrgicos os que são indispensáveis para a realização da celebração; os religiosos, os que não são necessários, mas agregam na produção de sentidos e significados; já os antropológicos são símbolos que não pertencem apenas ao cristianismo. 

No Advento, assim como em todos os tempos do Ano Litúrgico, os elementos são mais do que uma composição de decoração, eles favorecem a criação do clima que o momento exige, além de carregarem diversos significados. Os principais desse tempo são a ausência do hino do Glória, cor roxa, ornamentação simples (símbolos litúrgicos) e a coroa com seus elementos (símbolo religioso). 

Ausência do hino do Glória, cor roxa e ornamentação simples

Adota-se essas medidas por ser um tempo de expectativa e vigilância e, por isso, o momento é de discrição, sobriedade e atenção. Com exceção do 3º Domingo do Advento, em que se usa a cor rosa, pois representa a alegria da espera. 

A Coroa

Com origem na religião Luterana, era formada por várias velas pequenas – que simbolizavam os dias da semana – e quatro velas maiores, para os domingos. Foi adotada pela Igreja Católica e usada pela primeira vez no ano de 1925. É envolvida com ramos verdes, uma fita vermelha e, hoje, apenas as velas que simbolizam os domingos permanecem.

  • Forma circular: simboliza a aliança de Deus com a humanidade e a eternidade;
  • Ramos verdes: formados por galhos de pinheiro, o verde traz o significado de esperança, pois mesmo cortados, os ramos de pinheiros, permanecem verdes por semanas;
  • Velas: Quatro velas são acesas, uma a cada domingo, relembrando que Jesus é a Luz do mundo. Sendo três delas coloridas – podendo ser todas roxas – e para a vela do 3º domingo, também chamado de Gaudete (que significa alegrar-se), usa-se a vela da cor rosa claro por ser um dia de alegria;
  • Fita vermelha: a cor da fita simboliza o fogo, o sangue, a vida e o amor.

Outros símbolos podem fazer parte das celebrações ou casas nesse tempo litúrgico como o presépio, as luzes, árvores e ceia de Natal. 

Os símbolos para a Igreja 

Para a Igreja Católica, como um todo, os símbolos e ações simbólicas têm papel fundamental e em todas as celebrações é possível perceber a presença deles.  Diácono Geraldo Luiz de Souza, explica que não há liturgia sem símbolos, pois Deus não se revela apenas por meio das palavras. “Os gestos feitos pelo padre, as roupas que ele utiliza, os objetos litúrgicos, todos eles têm um significado”, afirma. 

O professor explica ainda que a civilização ocidental é muito focada nos aspectos racionais, mas outras linguagens também podem auxiliar na criação de sentidos e, além de ser mais comum ler com os olhos “nós também ‘lemos’ com o olfato, nós também ‘lemos’ com o nosso paladar, nós ‘lemos’ com a nossa audição, não só de palavras, mas também de sons e música.”

Dessa maneira, os símbolos contribuem para que os católicos sejam direcionados para um mesmo sentido, unindo-se em comunidade, com o mesmo propósito, independentemente do local ou idioma que se fale. 

O Advento

Celebrado nos quatro domingos que antecedem o Natal, o tempo de preparação e vigilância é também um tempo de espera, da chegada da boa nova. Nas duas primeiras semanas, a liturgia e preparação são direcionadas para a vinda definitiva de Jesus e nas duas semanas seguintes, prepara-se diretamente para a festa do Natal. O diácono Geraldo Luiz de Souza, explica que no século IV o Cristianismo passou a ser uma religião mais aceita no Império Romano e a Festa do Sol, que acontecia no dia 25 de dezembro e era muito popular na cidade de Roma, passou a ser também a festa do nascimento de Jesus, sendo Ele a Luz do mundo. No entanto, a preparação para esse tempo, da maneira que é realizada hoje (quatro semanas se preparando para as duas vindas de Jesus), teve início com a reforma litúrgica do Concílio Vaticano II.

Novos coroinhas para a Paróquia Sant´Ana e capelas

Novos coroinhas para a Paróquia Sant´Ana e capelas

A partir deste fim de semana 31 crianças passam a servir como coroinhas nas celebrações de nossa paróquia Sant’Ana, zona Sul de Londrina. Segundo a coordenadora da Pastoral dos Coroinhas da Sant´Ana, Raquel Honesko, a cerimônia de confirmação e investidura se realizou no último domingo (21), durante a missa das 19 horas na Capela Sant´Ana, celebrada por nosso pároco, padre Marcelo Cruz.

Raquel informa que do grupo 17 coroinhas integram a pastoral da Sant´Ana, outros 7 são da capela Divino Espírito Santo e mais 7 participam na São José Operário. Uma escala de serviços definindo dias e horários para cada um está sendo montada pelas coordenações da Pastoral dos Coroinhas de cada capela.
Seguindo as diretrizes determinadas pela Arquidiocese de Londrina, os novos coroinhas participaram, durante três meses, de uma formação sob orientação do seminarista Jefferson Bassetto. “Fiquei impressionado com a sede de Deus dessas crianças e adolescentes, nos três meses de formação, me faziam perguntas sem parar o encontro todo. Conhecer mais os tesouros da Igreja, sua liturgia, e ficar mais próximo de Jesus em um exercício diário para buscar a santidade foi nossa meta com essa turma. Fiquei muito contente em dar essa formação” comenta o seminarista.